Select Menu

Gif Flulink



Slider

Travel

Performance

Cute

My Place

Mercado Tricolor

Racing

» » » » » » Sorria pra chuchu! O campeão é o Flu, e com goleada no sub-15
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Rafael Resende levanta o troféu. Flu foi campeão com sobras
 Tarde de sábado, 14 de novembro. Estádio Manoel Schwartz. Arquibancada social lotada. 

Só dava Flu nas Laranjeiras. Se fosse uma partida transmitida pela TV, você não ia querer sair da frente da tela. O Fluminense está muito bem representado na categoria sub-15, já são 18 jogos sem perder. A coletividade do Tricolor nesta final da Taça Rio foi algo que não é visto por muitas vezes em equipes profissionais. Os moleques de Xerém deram show: 6 a 2 sem tomar muito conhecimento do bom Nova Iguaçu.

Esta foi a formação iniciada pelo Flu na final da Taça Rio sub-15
O próprio clube diz, o Fluminense usa o mesmo padrão de jogo em todas as categorias. Na verdade, não chega a ser um mesmo padrão, por divergências nas peças do quebra-cabeça, mas é a mesma formação. 4-2-3-1. Um lateral que sai muito para o ataque (Renner, pela esquerda) e outro mais contido (Leo Charles). Bons zagueiros e uma dupla de volantes promissora. Pelo centro, o camisa 10 Henrique armava o jogo. Abertos pelos lados, como wingers, os habilidosos Leandro pela direita e Pantoja pela esquerda. O centroavante é Navarro.

O goleiro Iago não teve tanto trabalho na partida. Mostrou segurança nas saídas do gol quando os atacantes avançavam e não teve culpa nos gols marcados pelo adversário. No primeiro tempo, o Nova Iguaçu só conseguiu fazer uma finalização, que foi o gol do meia Kayque. O outro foi de pênalti, de Marcus no segundo tempo, em que o camisa 1 chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar

Não foram poucos os jogadores que se destacaram individualmente. Leandro mostrou muita categoria e personalidade. Com 25 minutos jogados, o canhoto recebeu bola de Navarro e no domínio com o lado externo do pé deu um drible da vaca no zagueiro. Com infelicidade, chutou por cima do gol. O camisa 11 quase fez um gol de falta poucos minutos após a bela jogada. Era o dono da bola parada e, no início do segundo tempo, aos três minutos, tentando um gol olímpico, acabou forçando um gol contra em trapalhada do goleiro adversário.

Os outros jogadores da frente mostraram muita qualidade também. O camisa 10 Henrique jogou apenas no primeiro tempo, porém mostrou passe refinado em algumas jogadas. Pantoja, jogando pela esquerda, tem velocidade e é oportunista - foi ele quem abriu o placar. Na segunda etapa o camisa 7 protagonizou a mais bela jogada do dia. Foi um pecado aquela bola não ter entrado. Invadindo a área, o jogador driblou dois pela esquerda, tocou por cima do goleiro, mas a bola foi na trave. Rafael Navarro, além de ter o oportunismo que um 9 deve ter, tem qualidade também quando sai da área, aproveitando as infiltrações dos pontas.

 O técnico Gustavo Leal usou as sete substituições permitidas. Dos suplentes que entraram, Lucas e Marlon se destacaram. Na jogada do quinto gol, Lucas recebeu lançamento do goleiro Iago, e com a cabeça conseguiu enganar a defesa do Nova, de frente para o goleiro, chutou na trave e no rebote Marlon empurrou para as redes.

Após desarme, John correu para o ataque e fechou a goleada
O sistema defensivo tricolor foi muito seguro. Tomou gols em erros pontuais, entretanto, num todo foi bem demais. E foi coroado com o gol. Para fechar o caixão, o zagueiro John puxou contra-ataque desarmando o meia Samuel, a bola ficou com o volante Yuri que logo tocou em Guilherme. O atacante viu o camisa 4 correndo livre e fez o passe de primeira. Como um atacante habilidoso, John enganou um adversário e tocou entre as pernas do goleiro Daniel. Ali já era tempo de sorrir. Estava mais do que garantido que o capitão Rafael Resende levantaria o troféu da Taça Rio.

O nome do jogo, na opinião deste que vos fala, não foi nenhum jogador de frente. Era o dia do lateral Renner. Todas as vezes que subia para o ataque era perigoso. Deu uma assistência, participou da metade dos gols e não teve problemas na defesa. Incansável, jogou os 90 minutos.

Adendo: do lado da Laranja da Baixada, chamou atenção o zagueiro e capitão Nathan. Mostrou segurança enquanto pôde, é de um time que tem muita qualidade. A goleada foi muito mais por mérito do Fluminense, que tem preparação física melhor.

A torcida tricolor marcou presença. A arquibancada social ficou lotada para prestigiar a molecada de Xerém
Agora é hora de decidir o título estadual. O Fluminense enfrentará o Vasco da Gama no próximo dia 22, às 10h em São Januário. O jogo de volta ainda tem data indefinida. Confira os gols e a súmula da partida no site da Ferj.

Fotos: Nelson Perez/Fluminense F.C.

Autor: Isaías Ramos

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Deixe um comentário